#TRIXEXPLICA: Terrário. O que são? Como montá-los?

#TRIXASTROS: SIGNO DE PEIXES
15 de abril de 2019

Compartilhar este post!

Os terrários tornaram-se populares em meados do século XIX, em Londres com oDr. Nathaniel Bagshaw Ward, botânico e colecionador de mais de 25000 mil espécies de plantas, todas coletadas pessoalmente. Após a morte de diversas espécies de seus cultivos (principalmente as samambaias) devido a poluição e péssima qualidade do ar de Londres, o Dr. Nathaniel resolveu então ultilizar os jarros fechados que matinha alguns insetos, para iniciar cultivos botânicos, já que ele havia observado uma constância, de que quando isoladas e em mini estufas, estas conseguiam germinar algumas espécies de gramas e samambaias. Foi quando ele teve a ideia de criar o Wardian Case (caixa com tampa de vidro, semelhante a uma mini estufa) e publicou o livro On the Growth of Plants in Closely Glazed Cases. Assim, tornando o terrário famoso e muito utilizado nas casas vitorianas.
Após esse sucesso os terrários foram muito disseminadas para estudos, cultivo e transporte de espécies para ambientes teoricamente inóspitos, quando dentro das Wardian Cases poderiam florescer e sobreviver, em climas semelhantes ao seu ambiente natural, sempre protegidas das exposições de meios diferentes. Serviram também como importante meio para comercialização e importação de plantas de diversas partes do mundo. Inclusive, foi utilizado para a importação da Seringueira Brasileira, o que foi muito importante para o desenvolvimento da indústria da borracha.
Os terrários voltaram com força após a moda hippie nos EUA e atualmente estão sendo utilizados em diversos formatos e tamanhos no Brasil. Além de serem plantas de pouca manutenção e de incrível beleza, são itens de decoração e sofisticação, ficam lindas em quaisquer ambientes e trazem um pedacinho da natureza para dentro de nossos lares.

Curiosidade: Há mais de 40 anos o senhor David Latimer, mantém em sua residência um garrafão lacrado com uma rolha, plantado em 1960 e regado pela última vez em 1972 (depois disso nunca mais foi aberto). As plantas cultivadas sobreviveram graças as etapas de um “ecossistema autossuficiente” vindo da terra e do material orgânico de suas folhas e estruturas. Para completar o ciclo natural desse sistema a luz solar foi fundamental para a realização da fotossíntese e consequente geração de energia.

De acordo com o jornal Daily Mail “À noite, a planta realiza respiração celular para sobreviver, que consome o oxigênio gerado e os nutrientes armazenados. Como a terra do garrafão recebeu água há cerca de 40 anos, o líquido é continuamente reciclado, enquanto as bactérias no solo decompõem o material da planta. ”

A seguir algumas fotos para vocês se inspirarem:

Fontes: www.g1.globo.com, www.pedacinhodejardim.blogspot.com.br, www.liberatusconscientiae.blogspot.com.br e www.wabisabiatelie.com.

Imagens: www.decorfacil.com, www.haflora.com.br e www.wabisabiatelie.com.

Montando um terrário – Nível §§§

Algumas dicas importantes:

  • Ultilizar plantas da família das samambaias e avencas (musgos, brilhantinas, tostão, etc).
  • Favorável em climas mais úmidos, tipo floresta.
  • Não pode tomar sol direto, pois vira estufa.
  • Dependendo do terrário, pode ficar de 3-5 meses sem regar.

Como montar o seu terrário:

O sistema de plantação do terrário segue os mesmos princípios básicos do minijardim, muda-se somente as plantas que serão plantadas e o tipo de vaso, estes devem ser fechados.

  1. Sempre imaginar a cena ao qual quer implantar o terrário (tema).
  2. Esterilização: Limpar e passar álcool no recipiente escolhido antes de utilizar.
  3. Drenagem: Pedra branca (para não apodrecer a planta)

IMPORTANTE: Não utilizar casca de pinho nessa etapa.

  • Purificação da água: Carvão, em pouca quantidade.
  • Reter umidade na terra: Musgo seco tipo esfagno, umedece-los posteriormente com borrifador.
  • Reter os nutrientes na terra: Areia (pode ser a de construção)
  • Preparação para o plantio: Misturar areia com terra vegetal, quantidade 1:1.
  • Plantio: Retirar a planta do vaso, retirar excesso de terra com cuidado. Passa-las para o mini jardim, fazendo pequenos buracos na terra. Após o plantio, dar pequenas batidinhas para assentar.
  • Decor: Adicionar adereços, ornamentos, corais e enfeites que desejar de acordo com o tema escolhido.

LEMBRE-SE: Quando definimos qual o lado principal do nosso mini-jardim, fica mais fácil de pensar no conjunto. Não se esqueça de colocar as plantas maiores na parte de trás, para não esconder as plantas menores.

  1. Finalização: Casca de pinho tratadas, esfagno, britas, pedriscos, areias, cascalhos.
  2. Rega: Esporádica, pois o próprio sistema criado se encarrega de mante-las “hidratadas. Regar sempre com borrifador.

Vai soltar a criatividade e fazer você mesmo o seu terrário? Ficamos curiosas em saber como eles vão ficar.

Nos envie fotos do seu terrário e nos conte o que achou aqui nos comentários desse tipo de tutorial DIY.

Beijos.

Compartilhar este post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *